De acordo com o Banco Central, contas externas registraram déficit de US$ 3,21 bilhões entre janeiro e março. Investimento estrangeiro totalizou US$ 17,74 bilhões no período.

conta de transações correntes registrou um superávit de US$ 798 milhões em março, informou o Banco Central nesta quarta-feira (25). Esse foi o segundo mês seguido de saldo positivo.

A conta de transações correntes é formada pela balança comercial (comércio de produtos entre o Brasil e outros países), pelos serviços (adquiridos por brasileiros no exterior) e pelas rendas (remessas de juros, lucros e dividendos do Brasil para o exterior). Trata-se de um dos principais indicadores do setor externo brasileiro.

O chefe do Departamento de Estatística do BC, Fernando Rocha, informou ainda que o BC prevê um novo superávit na conta de transações correntes, no valor de US$ 1,5 bilhão, para o mês de abril. O resultado oficial será anunciado em maio.

Trimestre e previsão para 2018
No acumulado dos três primeiros meses deste ano, porém, as contas externas registraram déficit de US$ 3,219 bilhões. Apesar de negativo, o resultado foi melhor para este período desde 2007 (+US$ 80 milhões), ou seja, em onze anos.

Os números mostram que o resultado das contas externas foi influenciado positivamente, tanto em março quanto no primeiro trimestre, pelas receitas com lucros e dividendos, que cresceram frente aos patamares registrados em 2017.

Essas receitas referem-se aos lucros que as subsidiárias no exterior obtiveram no ano passado e repassaram para as matrizes brasileiras. As remessas de juros também foram menores neste ano.

Para todo o ano de 2018 o Banco Central estima um déficit em transações correntes de US$ 23,3 bilhões. No ano passado, o rombo das contas externas somou US$ 9,762 bilhões, no que foi o melhor resultado para um ano fechado desde 2007.

Investimento estrangeiro
O Banco Central também informou nesta quarta-feira que os investimentos estrangeiros diretos na economia brasileira somaram US$ 6,539 bilhões em março, com queda em relação ao mesmo mês do ano passado (US$ 7,060 bilhões).

No acumulado dos três primeiros meses deste ano, os investimentos estrangeiros somam US$ 17,747 bilhões, valor menor que o registrado no mesmo período do ano passado (US$ 23,781 bilhões).

Apesar da queda, os investimentos estrangeiros foram mais do que suficientes, nos três primeiros meses deste ano, para cobrir o rombo das contas externas no período (US$ 3,219 bilhões.)

Para 2018, o Banco Central manteve a estimativa de um ingresso de US$ 80 bilhões em investimentos estrangeiros diretos na economia brasileira. Deste modo, os investimentos continuariam suficientes para "financiar" em sua totalidade o déficit das contas externas do período – cuja estimativa do BC é de US$ 23,3 bilhões neste ano.

Fonte: G1 ( https://g1.globo.com/economia/noticia/contas-externas-tem-superavit-pelo-2-mes-seguido-em-marco-e-melhor-primeiro-trimestre-em-11-anos.ghtml )